Advocacia

A questão catorze das Self-evaluation Grids do Euro HIV EDAT foca-se sobretudo nas questões sociais, políticas e legais que podem afetar o trabalho dos serviços de ARVBC.

Os serviços de ARVBC podem advogar não só por um serviço de rastreio de VIH de baixo limiar e comunitário, mas também por questões relacionadas que afetem os HSH enquanto população chave. Estas quesões podem ter um impacto na potencial eficácia do serviço de ARVBC, como é o caso do estigma e discriminação para com as pessoas que vivem com VIH, discriminação com base na sexualidade, marginalização de grupos socialmente oprimidos, criminalização da transmissão da infeção pelo VIH, etc.

Obtenha algumas informações de pontos de verificação diferentes na Europa em nosso vídeo do Workshop em Ljubljana:

Legendas russas incluídas / Включая российские субтитры

Item O seu serviço de ARVBC tem isto em prática? Existe um padrão, diretriz, plano, política, procedimento, contrato ou acordo documentado? Está adaptado às condições e necessidades locais? Está a funcionar como pretendido? Ação
Lista de ativistas
Descrição

Descrição

Uma lista que contém pessoas e organizações que podem promover as preocupações e questões que afetem o aconselhamento e rastreio voluntário e de base comunitária de uma forma geral e o serviço de ARVBC em particular.

 

Orientação

Orientação

A advocacia baseia-se sobretudo na comunicação interpessoal. Uma lista de potenciais ativistas é essencial para fazer avançar questões de advocacia.

As equipas do serviço de ARVBC podem criar uma lista de potenciais ativistas com os nomes de pessoas e organizações que têm influencia em questões políticas, decisores politicos, financiadores e outros stakeholders importantes. A lista também pode fazer parte de uma análise de stakeholders mais abrangente.

A sua influência pode ser baseada em:

  • Conhecimentos técnicos (por exemplo: investigadores, académicos, especialistas);
  • Influência política (por exemplo: ativistas, políticos);
  • Perfil público (por exemplo: personalidades mediáticas, celebridades locais);
  • Testemunhos pessoais (por exemplo: utentes ou pessoas que vivem com VIH que estejam dispostas a usar a sua história num projeto de advocacia).

De forma a não limitar a seleção, é útil que a lista inicial seja feita sem objetivos particulares ou questões de advocacia em mente.

Não é necessário perguntar às pessoas cujos nomes constam na lista se estão dispostas a agir como ativistas até surgir um assunto que o serviço de ARVBC queira prosseguir de forma estratégica.

 

Adaptação

Adaptação

Uma lista de potenciais ativistas pode server como recurso para campanhas específicas. É possível adicionar novos nomes à medida que surgem potenciais apoiantes. É útil rever e adaptar a lista regularmente no âmbito dos processos de planeamento estratégico.

 

Melhoria de qualidade

Melhoria de qualidade

As ferramentas estruturadas de melhoria de qualidade (por exemplo: o QIP e o Succeed) incluem perguntas sobre os stakeholders. A ferramenta PQD (Participatory Quality Development) inclui o Circles of Influence, um método de análise de stakeholders que pode server para identificar e avaliar as posições e papéis dos vários stakeholders, incluindo o seu potencial ativista. O uso de uma ferramenta estruturada pode tornar mais fácil o ato de pensar em nomes de potenciais ativistas e a avaliação dessa lista. Consultar www.qualityaction.eu para mais informação sobre ferramentas.

 

Plano de Ação

Plano de Ação

Este Plano de Ação irá permitir-lhe trabalhar diretamente os itens que identificou como sendo prioritários (campos a amarelo e/ou vermelho na checklist). Indique atividades tão específicas quanto possível. Poderá fazer download da versão final de cada Plano de Ação num documento em formato xlsx e imprimi-lo posteriormente. O Plano de Ação servirá de base para o futuro planeamento, implementação e avaliação.

O Plano de Ação apresenta uma sequência de passos a seguir, ou de atividades que devem ser desenvolvidas para que uma estratégia tenha sucesso. O Plano de Ação tem quatro elementos principais: (1) o que será feito (tarefas específicas), (2) por quem (responsabilidade), (3) até quando (prazos) e (4) como será monitorizada a implementação da tarefa.


→ Copiar para o plano de ação
Assuntos prioritários para advocacia
Descrição

Descrição

Os assuntos prioritários para advocacia são as questões ou problemas que, se forem abordados ou resolvidos, podem funcionar como catalisadores da mudança desejada.

 

Orientação

Orientação

A prioridade de uma questão de advocacia é determinada em primeiro lugar pelas necessidades e exigências das populações chave, sobretudo se resultarem em barreiras ao rastreio de pessoas em situação de maior vulnerabilidade à infeção pelo VIH. No caso dos HSH (e outras populações vulneráveis ou marginalizadas), é provável que se baseiem no estigma, discriminação e marginalização. As barreiras ao rastreio podem ser resultado da ausência de direitos legais, políticas públicas discriminadoras ou práticas excludentes, bem como de atitudes sociais, culturais e religiosas da sociedade como um todo.

A advocacia também pode ser usada ao longo do tempo para reduzir o nível de burocracia, aumentar a confiança e independência da influência de alguns stakeholders, aumentando assim a participação da população chave.

As questões de advocacia que surgirem podem ser mais abrangentes (por exemplo: direitos humanos, homofobia) ou específicos (por exemplo: serviços de saúde HSH friendly).

Os algoritmos de priorização podem ajudar na seleção de questões que terão maior influência na eficácia do serviço de ARVBC.

Download prioritising algorithm tool

 

Adaptação

Adaptação

Adaptar uma lista de questões prioritárias de advocacia de acordo com as circunstâncias locais significa seleccionar o assunto certo à hora certa. Os fatores para o sucesso de um plano de advocacia são:

  • Motivação dos afetados;
  • Planeamento do trabalho de advocacia para quando a mudança for possível – por exemplo: ciclos de financiamento, novas políticas, desenvolvimento de planos estratégicos ou de ação, reestruturação do sistema de saúde.
  • Potencial apoio de decisores políticos – por exemplo, ministros recém nomeados, burocratas, funcionários em topo de carreira, políticos.
  • Atenção pública (por exemplo: eventos LGBTIQ*, alterações legislativas, eleições).

 

Melhoria de qualidade

Melhoria de qualidade

Quando os stakeholders usam ferramentas estruturadas de melhoria de qualidade (consultar www.qualityaction.eu), identificam muitas vezes áreas para melhoria que estão for a da área de influência da organização ou do projeto por dependerem de questões políticas, de legislação, de atitudes sociais ou de outros fatores externos.

O facto de estes tópicos surgirem de processos de reflexão coletiva é uma indicação da sua relevância e do seu potencial de questão prioritária para advocacia.

 


→ Copiar para o plano de ação
Estratégias para advocacia
Descrição

Descrição

Os públicos são os grupos de pessoas que são os destinatários da comunicação. De modo a adaptar o conteúdo, canais e estilo de comunicação às suas necessidades, é útil definir claramente quem são os nossos públicos na fase de planeamento.

 

Orientação

Orientação

Todos os media e redes sociais online podem ser usados para aumentar a consciência e fornecer informação sobre uma questão de advocacia.

É possível usar histórias de sucesso bem documentadas do serviço de ARVBC ou de outros serviços de ARVBC na área da advocacia. Por exemplo, apresentando dados que demonstrem as elevadas taxas de rastreio de infeções pelo VIH e as elevadas taxas de ligação aos serviços de saúde. Estas duas variáveis são dados fundamentais para convencer decisores na área da saúde pública, uma vez que são partes centrais do continuum de cuidados de saúde na área do VIH.

Outras estratégias para representar a comunidade, participar na criação de políticas/alterar decisões e obter um melhor acesso aos serviços são:

  • Pedir a inclusão em comités e conselhos consultivos;
  • Criar relações profissionais com decisores politicos;
  • Estabelecer parcerias e redes com outras organizações que estejam a advogar por uma alteração relacionada com aquela que defendemos;
  • Recrutar como aliados pessoas que têm influência na definição de políticas e tomada de decisão.

O manual da ILGA para a advocacia de direitos LGBT é um recurso útil nesta área:  www.eidhr.eu/files/dmfile/advocacy_manual_www1.pdf 

 

Adaptação

Adaptação

Os sistemas de saúde locais, estruturas burocráticas e as políticas têm influência no tipo de estratégias de advocacia que serão mais eficazes. As normas sociais e culturais, bem como as “regras não oficiais” sobre como envolver políticos e decisores politicos também desempenham um papel importante.

Obter conselhos de outros grupos de advocacia sobre histórias anteriores de sucesso poderá ter um impacto na escolha da estratégia para uma determinada questão de advocacia.

 

Melhoria de qualidade

Melhoria de qualidade

Como o próprio trabalho do serviço de ARVBC, o trabalho de advocacia pode ser melhorado com recurso a processos de auto reflexão, sobretudo se contarem com a participação de todos os stakeholders relevantes. Planear, implementar e avaliar as campanhas de advocacia através do uso de ferramentas estruturadas irá garantir a probabilidade de sucesso.

Um leque de métodos participativos de desenvolvimento de qualidade para a avaliação de necessidades, planeamento, implementação e avaliação, incluindo guias detalhados, pode ser encontrada na ferramenta Participatory Quality Development (PQD), disponível em www.qualityaction.eu.

 


→ Copiar para o plano de ação
Imprima Lista de Verificação

Plano de ação

Advocacia
Advocacia
ItemO que será feito?Quem o fará?Quando?Como será monitorizado?
Copie seu item da lista de verificação acima
Copie seu item da lista de verificação acima
Copie seu item da lista de verificação acima
Imprima Plano de Ação